Broken-hearted Girl (Beyoncé)

•14/02/2010 • Deixe um Comentário

You’re everything I thought you never were
And nothing like I thought you could have been
But still, you live inside of me, so tell me how is that?
You’re the only one I wish I could forget
The only one I love to not forgive
And though you break my heart, you’re the only one
And though there are times when I hate you
‘Cause I can’t erase
The times that you hurt me and put tears on my face
And even now, while I hate you, it pains me to say
I know I’ll be there at the end of the day

I don’t wanna be without you, babe
I don’t want a broken heart
Don’t wanna take a breath without you, babe
I don’t wanna play that part
I know that I love you, but let me just say
I don’t wanna love you in no kind of way, no no
I don’t want a broken heart
I don’t wanna play the broken-hearted girl
No, no, no broken-hearted girl

There’s something that I feel I need to say
But up til’ now I’ve always been afraid that you would never come around
And still I wanna put this out

You say you’ve got the most respect for me
But, sometimes I feel you’re not deserving of me
And still, you’re in my heart
But you’re the only one
And yes, there are times when I hate you, but I don’t complain
‘Cause I’ve been afraid that you would walk away
Oh, but now I don’t hate you
I’m happy to say
That I will be there at the end of the day

I don’t wanna be without you, babe
I don’t want a broken heart
Don’t wanna take a breath without you, babe
I don’t wanna play that part
I know that I love you, but let me just say
I don’t wanna love you in no kind of way, no no
I don’t want a broken heart
I don’t wanna play the broken-hearted girl
No, no, no broken-hearted girl

Now I’m at a place I thought I’d never be, ooh
I’m living in a world that’s all about you and me, yeah
Ain’t gotta be afraid, my broken heart is free to spread my wings and fly away, away with you….

I don’t wanna be without my baby
I don’t want a broken heart
Don’t wanna take a breath without my baby
I don’t wanna play that part
I know that I love you, but let me just say
I don’t wanna love you in no kind of way, no no
I don’t want a broken heart
I don’t wanna play the broken-hearted girl
No, no, no broken-hearted girl
Broken-hearted girl
No, no, no broken-hearted girl

•15/08/2009 • 1 Comentário

Há coisas que não se dizem…sentem-se simplesmente…

Coisas que vão para lá daquilo que o olhar comum pode alcançar…

Coisas que não se tocam…mas que nos tocam…

Que quando os ouvidos procuram, desistem indignos de algo tão belo

E se o olfacto tentar captá-las, esquece a sua verdadeira essência…

Mesmo quando o paladar almeja degustá-las, adormece na sua inocência!

Coisas que se revelam algo maior….

Algo que nenhum dos 5 sentidos podem sentir…

Algo que é amor não se pode exprimir…

Depressão

•06/08/2009 • Deixe um Comentário

 

 

 

DEPRESSÃO

Das 107 doenças e problemas de saúde mais relevantes, a principal causa de incapacidades e a segunda causa de perda de anos de vida saudáveis é a DEPRESSÃO….

Estudos indicam que uma em cada quatro pessoas em todo o mundo sofre, sofreu ou vai sofrer de depressão. Um em cada cinco utentes dos cuidados de saúde primários portugueses encontra-se deprimido no momento da consulta.

O que é a depressão?

“A depressão é uma doença mental que se caracteriza por tristeza mais marcada ou prolongada, perda de interesse por actividades habitualmente sentidas como agradáveis e perda de energia ou cansaço fácil.”

Pois….para quem não sabe é mesmo isso que se sente…não vai há muito tempo que passei por isso e ainda estou em fase de “desmame”, segundo o médico.

“Ter sentimentos depressivos é comum, sobretudo após experiências ou situações que nos afectam de forma negativa. No entanto, se os sintomas se agravam e perduram por mais de duas semanas consecutivas, convém começar a pensar em procurar ajuda.”

Eu era do género: “Nunca terei isso” até que chegou o dia em que uma amiga que já tinha passado por um estado depressivo me aconselhou a ir ao meu médico. E tudo por causa do excesso de trabalho….trabalhar até à exaustão, viver intensamente o trabalho, sempre a pedirem coisas etc e tal e um dia após 5 anos a coisa teve que arrebentar.

Culpa minha? Sim, porque tinha a mania de fazer tudo.

Culpa da entidade patronal? Também porque apesar de estarem sempre presentes no dia a dia de uma pessoa nunca souberam ver isso…Óbvio que o que querem e que as coisas estejam prontas e não se preocupam com mais nada.

O curioso é que já uma colega de trabalho estava de baia médica pelo mesmo motivo.

Ainda me recordo do triste episódio de mal entrar no consultório do médico desatar a chorar…

“A depressão pode afectar pessoas de todas as idades, desde a infância à terceira idade, e se não for tratada, pode conduzir ao suicídio, uma consequência frequente da depressão.”

Pensei nisso…sentia-me inútil, só me apetecia chorar, chorar sem qualquer motivo cheguei mesmo a questionar-me o que estava “cá” a fazer. Não era ninguém, não me apetecia sair, andava sempre ansiosa, tive um ataque de pânico, andava sempre de mau humor, não havia motivos para sorrir, para estar alegre, irritada e com problemas a dormir…

Fui buscar forças onde nunca pensei buscar. Tive pessoas, a quem posso chamar mesmo de amigos, que me deram a mão que me puxaram para não ir ao fundo, que me apoiaram. O ginásio ajudou-me bastante a recuperar a vontade de viver, de conviver com pessoas.

“Quais são os factores de risco?

• Pessoas com episódios de depressão no passado;

• Pessoas com história familiar de depressão;

• Pessoa do género feminino – a depressão é mais frequente nas mulheres, ao longo de toda a vida, mas em especial durante a adolescência, no primeiro ano após o parto, menopausa e pós-menopausa;

• Pessoas que sofrem um qualquer tipo de perda significativa, mais habitualmente a perda de alguém próximo;

• Pessoas com doenças crónicas – sofrendo do coração, com hipertensão, com asma, com diabetes, com história de tromboses, com artroses e outras doenças reumáticas, SIDA, fibromialgia, cancro e outras doenças;

• Pessoas que coabitam com um familiar portador de doença grave e crónica (por exemplo, pessoas que cuidam de doentes com Alzheimer);

• Pessoas com tendência para ansiedade e pânico;

• Pessoas com profissões geradoras de stress ou em circunstâncias de vida que causem stress;

• Pessoas com dependência de substâncias químicas (drogas) e álcool;

• Pessoas idosas.

É possível prevenir a depressão?

Como em todas as doenças, a prevenção é sempre a melhor abordagem, designadamente para as pessoas em situação de risco, pois permite a intervenção precoce de profissionais de saúde e impede o agravamento dos sintomas.

Se sofre de ansiedade e/ou ataques de pânico, não hesite em procurar ajuda médica especializada, pois muitas vezes são os primeiros sintomas de uma depressão.

Se apresenta queixas físicas sem que os exames de diagnóstico encontrem uma explicação então aborde o assunto com o seu médico assistente.

Quais são os sintomas da depressão?

A depressão diferencia-se das normais mudanças de humor pela gravidade e permanência dos sintomas. Está associada, muitas vezes, a ansiedade e/ou pânico.

Os sintomas mais comuns são:

• Modificação do apetite (falta ou excesso de apetite);

• Perturbações do sono (sonolência ou insónia);

• Fadiga, cansaço e perda de energia;

• Sentimentos de inutilidade, de falta de confiança e de auto-estima, sentimentos de culpa e sentimento de incapacidade;

• Falta ou alterações da concentração;

• Preocupação com o sentido da vida e com a morte;

• Desinteresse, apatia e tristeza;

• Alterações do desejo sexual;

• Irritabilidade;

• Manifestação de sintomas físicos, como dor muscular, dor abdominal, enjoo.

Como se diagnostica a depressão?

Pela avaliação clínica do doente, designadamente pela identificação, enumeração e curso dos sintomas bem como pela presença de doenças de que padeça e de medicação que possa estar a tomar.

Não existem meios complementares de diagnóstico específicos para a depressão, e a bem da verdade, tão pouco são necessários: o diagnóstico

Os medicamentos usados no tratamento das depressões são designados por antidepressivos. Estes medicamentos são a pedra basilar do tratamento das depressões moderadas e graves e das depressões crónicas, podendo ser úteis nas depressões ligeiras e não criam habituação nem alteram a personalidade da pessoa. Com a evolução da ciência e da farmacologia, estes medicamentos são cada vez mais eficazes no controlo e tratamento da depressão, nomeadamente por interferência com a acção de neurotransmissores, como a serotonina e a noradrenalina, no hipotálamo, a zona do cérebro responsável pelo humor (emoções).

Se o médico lhe prescrever medicamentos antidepressivos, siga as suas indicações e nunca pare o tratamento sem lhe comunicar as razões. Estes medicamentos não têm efeito imediato: pode demorar algumas semanas, 4 a 6, até começar a sentir-se melhor. O tratamento dura no mínimo quatro a seis meses.”

Penso que é uma informação útil que quis partilhar.

Sun is coming down…

•04/08/2009 • Deixe um Comentário

Uma música alegre que faz lembrar o Verão…mas cadê o Verão??

Boa noite…eu sou a Manuela M Guedes e este foi o homem que me calou :-)

•24/05/2009 • Deixe um Comentário

Alguém finalmente que teve coragem de a pôr no devido lugar!!

For someone

•12/05/2009 • Deixe um Comentário

Gostava que o céu fosse como o azul dos teus olhos ou…o azul do mar 🙂 que quando o olhamos nos perdemos nas ondas e divagamos por pensamentos, que nos transportam para um mundo distante em que tudo corre bem, as pessoas são felizes, e todos os sonhos são possíveis de concretizar.
Acho que encontrei “aquela” parte de mim quando vi esse teu azul…

Queria…..

•10/05/2009 • Deixe um Comentário

borboletaQueria ser como uma borboleta,
A testar os teus olhos,
A voar,
Brindando, com cores,
A tua vida sem calor,
Perfumar as tuas noites,
Com o cheiro do amor,
Preencher os teus braços,
Com o meu corpo,
Beijar a tua pele,
Na altura do teu peito,
Estreitar um jeito,
De beijar,
Abrir uma janela,
Para entrar o orvalho da madrugada,
Tirar a tua pose,
Com um riso,
Voar para os teus braços,
Como um refugio à tempestade de desejo,
Consumir-te a cada beijo,
Travando uma dança, com a minha voz na tua garganta,
Teu gosto morno,
A enlouquecer meu corpo,
Voar, passear minhas mãos, conhecendo a maciez da tua pele,
Fugir como que a repelir,
Fingir adormecer,
Estender as minhas asas,
Como fios de cabelo no teu travesseiro,
Dança de pernas, atadas no teu corpo,
A expelir o que me deixa louca,
Acalmando, essa mania de viver.